Nordic walking - Linfedema e Lipedema

O exercício físico faz parte da nossa vida, tendo a patologia ou não, é essencial manter uma vida activa. Segundo a American College Sport Medicine, devemos praticar no mínimo 30-60 minutos de actividade física, com uma intensidade moderada (cinco dias por semana) ou então 20-60 minutos de actividade física com uma intensidade vigorosa.

Existe várias maneiras de praticar exercício físico, mas com limitações oriundas do linfedema e/ou lipedema, até andar pode ser difícil. Sendo assim, começa-se a associar o Nordic Walking à patologia. Não só, porque tem o suporte dos bastões mas porque a actividade física faz parte da terapia do descongestionamento linfático.

O Nordic Walking, tem vindo a ganhar popularidade na Europa, em especial na Finlândia. Esta modalidade, consiste na caminhada em qualquer terreno com auxilio de dois bastões. Começou a ser usado nos países Nórdicos, como forma de manter o treino dos esquiadores durante as estações de temperaturas mais quentes. Este tipo de caminhada liberta parte do esforço usado nos membros inferiores, passando para os membros superiores e o tronco. O dispêndio calórico é 46% superior ao da caminhada normal.

Sendo mais específico, o Nordic Walking, melhora o desconforto articular nos ombros, diminui a compressão dos discos vertebrais, favorecendo assim a postura corporal. Neste tipo de caminhada, os triceps são os músculos mais usados, sendo que os membros superiores são sempre mais solicitados do que qualquer outra parte do corpo, assim, poderá aliviar o desconforto nas articulações dos mesmos. Sobre os membros inferiores, as pernas são menos usadas, pois em vez de se usar os pés como apoio, o peso do corpo distribui-se pelos quatro apoios.
Neste tipo de caminhada, os bastões devem manter um ângulo de 45 graus com o solo. A extremidade do bastão deve manter-se atrás da linha do corpo. O movimento com os bastões, tem três fases. Numa primeira fase, a mão que segura o bastão da frente adopta uma posição. Numa segunda fase, o apoio do bastão no solo ajudará a impulsionar o centro de massa. Na terceira, o braço de trás deve ficar paralelo ao bastão e a mão deve relaxar, estendendo os dedos. Existem os bastões ajustáveis e os fixos. Os ajustáveis, permitem ao praticante encontrar a altura correta, mas têm a desvantagem de implicar mais vibração ao entrar em contacto com o chão. Um praticante experiente deve ter o bastão a 90 graus de flexão, ao contrário do menos experiente, que deve ter menos de 90 graus. Para determinar o comprimento do bastão multiplique a sua altura por 0,68cm.


Gonçalo Nunes
Aluno da ESDRM|
Escola Superior de Desporto de Rio Maior

fonte da imagem: aqui

Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é muito importante :)
Identifique-se sempre, por favor.
Muito Obrigada :)
Manuela (L de linfa)