Ectasia de vasos linfáticos

Sem grande motivo aparente, começaram a aparecer, nas minhas pernas, algumas "borbulhas" que permaneciam. Numa consulta de rotina de cirurgia vascular o meu médico determinou que aquelas "borbulhas" deveriam ser analisadas mais detalhadamente. E, em 2006, fiz uma biopsia que afastou algumas suspeitas, tendo sido relatado que se tratava de ectasia de vasos linfáticos. A ectasia é a dilatação patológica, neste caso, dos vasos linfáticos.

A minha linfangiectasia foi proliferando, aqui e ali, estando no momento estabilizada, o uso diário das meias de compressão é sem dúvida uma ajuda preciosa.

2006




























ano 2007

ano 2007


Lisboa 44ºC !

Quando a temperatura  ronda os 44ºC só podia seguir o conselho que a Lymphoedema Ireland colocou no meu Twitter...: As minhas meias de compressão foram directamente para o congelador...sensação óptima  J J J, embora não dure para sempre L
Mas, mais vale um pouco do que nada JJ.
twitter.L de linfa

Manga de Compressão Activa para o Tratamento do Linfedema dos Membros Superiores

Acredito na capacidade técnica dos portugueses.
Carlos Gonçalves está a fazer o doutoramento na Universidade do Minho a sua ideia foi a mais inovadora das ideias incubadas durante dez semanas no Startup Nano, o primeiro programa nacional de aceleração e incubação para startups na área da nanotecnologia (sic). 

Ao ler esta noticia, nos orgãos de comunicação social, não poderia ficar indiferente  e foi com muito prazer que falei com este engenheiro, empenhado em encontrar uma uma resposta para esta patologia.

Queria ter publicado este texto de imediato, mas circunstâncias que em nada têm a ver com a disponibilidade e simpatia de Carlos Gonçalves só agora o faço, agradecendo publicamente o seu testemunho e o seu empenho.

Eis o texto que Carlos Gonçalves me enviou:

Manga de Compressão Activa 
para o Tratamento do Linfedema dos Membros Superiores

Carlos Gonçalves
investigador
O desenvolvimento de uma manga de compressão activa para o tratamento do linfedema dos membros superiores surge numa parceria entre o Centro de Nanotecnologia e Materiais Inteligentes (CeNTI), a Universidade do Minho (UM), o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) e Massachusetts Institute of Technology (MIT). 

O linfedema dos membros superiores é uma patologia caracterizada pela acumulação de linfa no braço. Esta patologia surge normalmente como uma consequência do tratamento do cancro da mama, embora possa também ser causada por queimaduras da pele ou infeções do sistema linfático. O estiramento da pele provocado pela acumulação de linfa é doloroso e impossibilita a execução de movimentos simples associados a tarefas diárias como por exemplo higiene pessoal ou alimentação. Desta forma, o tratamento eficaz desta doença torna-se premente.

Hoje em dia, o tratamento do linfedema dos membros superiores é feito com o recurso a massagens de drenagem linfática e mangas de compressão passivas. As massagens de drenagem linfática, ao contrário das massagens musculares, são massagens superficiais em que as forças exercidas não devem ultrapassar a pressão de 30 mmHg. Desta forma, a linfa é gentilmente conduzida aos canais linfáticos sem o aparecimento de hematomas, o que seria prejudicial ao tratamento. A mangas de compressão passivas são utilizadas no tratamento desta patologia com o intuito de evitar o retorno exagerado da linfa aos membros superiores após a drenagem efectuada com a massagem de drenagem linfática. Por vezes são utilizadas mangas insufláveis para o tratamento desta patologia.

A manga de compressão activa desenvolvida possui a capacidade de mimetizar as massagens de drenagem linfática. Os sensores e os actuadores embebidos num substrato têxtil configuram cinco estágios de compressão responsáveis por aplicarem pressões não superiores a 30 mmHg. Os estágios de compressão são controlados por uma pequena placa de circuito impresso que é alimentada por uma bateria semelhante à bateria de uma telemóvel, o que torna o dispositivo portátil. A portabilidade do dispositivo permite que este seja utilizado no dia à dia por baixo de peças de roupa, o que previne qualquer tipo de estigma associado ao tratamento. Os estágios de compressão são activados sequencialmente desde o pulso até ao ombro onde estão localizados os canais de drenagem linfática. 

O dispositivo desenvolvido não vem substituir fisioterapeutas no tratamento do linfedema dos membros superiores, mas sim complementar todas as terapêuticas utilizadas tendo em vista uma recuperação mais rápida e duradoura dos pacientes.

texto de:
Carlos Gonçalves

outros links com a noticia:
TV Europa
Links to Leaders
ComUM
DN


Costuma medir o seu linfedema?

The Lymphie Life in FB
As medidas são sem dúvida uma excelente maneira de verificar a evolução do seu linfedema, já aqui falámos sobre isto. Confesso que, no entanto, não faço auto medição L
... A Alexa coloca um post no FB que me motiva a tomar outra atitudeJ
Na verdade quando imprimimos organização e cor ao que fazemos até os perímetros poderão parecer bem mais pequenos e o controlo, esse é, decerto bem diferente e a nossa actuação pode ser preventiva em relação a outros dissabores. 

Vamos medir e registar o nosso linfedema? Já o costuma fazer?

Terminou hoje a Primeira Edição do Walk and Talk

Na verdade o tempo voa... ainda foi "ontem" que falámos sobre o inicio do programa Walk and Talk (aqui) e esta manhã já aconteceu a última sessão antes das férias de verão. 

Sugiro que visionem o video abaixo para melhor apreender o  que se passou aos sábados de manhã J J