Do linfedema à amputação


recorte de retirado do site
A Vicki escolheu a internet para, em forma de diário, partilhar a sua caminhada.

Foi com dezasseis anos que esta britânica teve os primeiros sintomas de linfedema e os primeiros diagnósticos incorretos. E, só oito anos mais tarde é que se cruzou com um cirurgião vascular que lhe diagnosticou o linfedema encaminhando-a para um linfologista, num hospital de Londres. Este último sugeriu-lhe uma intervenção cirúrgica, que ela recusou. Mais tarde, por sugestão do especialista, fez uma lipoaspiração, sem sucesso.

Dado que a sua perna apresentava um volume bastante acentuado, com cerca de mais 10 litros de linfa, teve de, mais tarde, optar por fazer drenagem linfática, onde obteve resultados visiveis.

Também na Grã Bretanha estas questões não são fáceis e a Vicki, para fazer a drenagem e a bandagem à sua perna, por vezes, tinha de fazer percursos de duas horas até chegar à cidade de Leeds e à enfermeira especialista em linfedema.

Embora este site, em forma de diário, contenha fotos e vídeos que podem chocar os mais sensíveis (a autora pré avisa sempre que isso vai acontecer) sugiro que vão até , para que, com mais detalhes, tenham a percepção do percurso de Vicki Skelton na sua doença.


Sem comentários:

Publicar um comentário

O seu comentário é muito importante :)
Identifique-se sempre, por favor.
Muito Obrigada :)
Manuela (L de linfa)